segunda-feira, 26 de maio de 2014

Tempo

"Finalmente ela entendeu que o tempo necessário para apaziguar a alma, para aquietar o coração e para colocar em ordem as ideias não podia ser medido nos relógios, não variava conforme o fuso horário e sim de pessoa pra pessoa. Ela percebeu que esse tempo é o mesmo que faz com que as estações se sucedam, é o que possibilita a cura, o perdão e o aprendizado. Mais tranquila, ela viu que o afeto pode mudar de natureza sem se perder." Gi B.F


Então se as coisas acontecerem muito diferente do planejado a maturidade vai restaurar o meu valor e me orientar a respeitar o tempo.

Aspectos da atenção, memória e de funções executivas na aprendizagem

NEUROINFORMAÇÃO: As funções executivas

NEUROINFORMAÇÃO: As funções executivas: Antes de falar da síndrome disexecutiva, temos de discorrer sobre as funções executivas. As funções executivas são o que o famoso neuro...

Espaço Autista: MANIFESTO PÚBLICO DECRETO DEREGULAMENTAÇÃO DA L...

Espaço Autista:

MANIFESTO PÚBLICO DECRETO DEREGULAMENTAÇÃO DA L...
: MANIFESTO PÚBLICO DECRETO DEREGULAMENTAÇÃO DA LEI DOS AUTISTAS A Associação Brasileira de Ação por Direitos da Pessoas...

Como nos colocar pensando criticamente sobre valores e referências éticas e morais?

O Hábito não faz o monge.
O que mais choca é nossa facilidade de abstrair. A sociedade parece anestesiada. Damos de ombro para acontecimentos muito sérios. 
O que está acontecendo com os papéis, com as atribuições e as responsabilidades?
Alguns valores e conceitos, referências morais e éticas deixaram de ser absolutos; noções antes coletivas se individualizaram, o certo e o errado se relativizaram; os códigos de conduta e até mesmo a lei evoluíram para o campo da interpretação e aplicação particulares. O bom senso está empalidecendo. 
Vamos fazer uma reflexão sobre as instituições de nossa sociedade. 
Excluídas as exceções e os bons exemplos, procure identificar seus sentimentos em relação ao poder público, à escola, à família, às religiões, aos pais, aos filhos, à fidelidade,  honestidade, à ética, ao professor, ao aluno, à saúde pública, à segurança pública, à polícia, ao político, às instituições financeiras, etc.
Certamente, temos muitos sentimentos negativos a respeito de cada uma dessas instituições, temos falta de confiança, descrença, medo, sentimento de abandono, violação de direitos, nos sentimos violentados e desmerecidos. 
Uma pessoa não se torna aluno só por estar matriculado e frequentando uma escola; os pais não se constituem apenas por terem uma filho; o professor não passa a existir quando alguém se coloca diante de uma classe empossado, do título de professor; um juiz de direito não surge magicamente após aprovação em um concurso público; o médico não se apresenta pela graduação; o policial não surge ao vestir uma farda; nem o político pela eleição; o religioso pelos votos. 
A falência das instituições galopa e cresce na mesma proporção em que cresce a ganância, o individualismo, o egoísmo, a preguiça, o descaso, o desmando, a impunidade e a inconsequência.
O que mais me choca é nossa facilidade de abstrair, não ouvir ou processar os fatos.
Nossa sociedade parece anestesiada. Damos de ombro para fatos acontecimentos muito sérios e trágicos.
Ser eleito para representar os interesses do povo e da nação deveria ser o hábito, o diploma, a toga, a batina, a carteira de motorista, a vaga numa escola, etc, etc,essas credenciais deveriam estimular um senso de coletividade e responsabilidade, mas que nada... A lei que mais vigora, infelizmente, ainda é a da vantagem, da satisfação a curto prazo em benefício próprio. 
Definitivamente, o hábito não faz o monge; as instituições estão despencando e o mais triste é constatar que um outro ditado popular se fortalece a cada dia: " A OCASIÃO FAZ O LADRÃO". Felizmente, ainda existe gente honesta e correta, mas para muitos a ocasião tem feito o ladrão.  
Texto da Revista Bem-Estar/ Diário da Região-sjrp-sp/ Pelo Psicólogo Josinel B. Carmona-25/05/2014

BLOG FUTURO ESTÁ AQUI: Deficiência Intelectual: o que é e como tratar

BLOG FUTURO ESTÁ AQUI: Deficiência Intelectual: o que é e como tratar: Você sabe o que é a Você saberia dar um conceito a alguém que te perguntasse o que é Deficiência Intelectual? Bem, pelo sim...

Simples assim ♥

                          "O conhecimento me fez acreditar que sonhar grande é possível"
                                                                                                  Nalú Vieira

PASCOA 2014 - Vivência gostosa demais♥♥♥

quinta-feira, 22 de maio de 2014

Neurociências e o Estresse

.: Neurociências e o Estresse: Estudos das Neurociências na área do Estresse , demonstram que nosso cérebro se assemelha a um computador de altíssima geração. O cérebro ...

Fique atento aos sinais do Estresse e procure um Especialista


http://neuropsicopedagogianasaladeaula.blogspot.com.br/

Mais um motivo pra não se importar com o que as pessoas dizem


“As pessoas admiram suas qualidades em silêncio, e julgam seus defeitos em voz alta.” Parece só mais uma frase de efeito, mas, no fundo, essa frase demonstra uma correspondência assustadora com a realidade.

É que a crueldade com que as pessoas costumam julgar umas às outras é o que me faz achar metade do mundo uma droga – e é do que você deve se lembrar da próxima vez em que pensar em se importar com os comentários negativos que fizerem ao seu respeito: as pessoas são cruéis.

Não todas, calma lá. Esta que vos fala gosta de blues, de café e de gente – até demais. Porque existe gente boa. Gente com energia boa, com palavras doces, com gestos bonitos e ataques de gentileza que fazem do mundo um lugar minimamente adequado pra se viver.

Mas, como nem tudo são flores, há as pessoas que tentam te diminuir quando você cresce. As que elogiam seus pontos fracos para que você não evolua. Que mascaram seus defeitos para que você não preste atenção neles – como se isto fosse possível – mas os superestimam na sua ausência, os gritam para o mundo. Os acendem com luz neon para que todos vejam o quanto eles são terríveis, enquanto te diz, com um sorriso falso no rosto, que tudo vai bem. Que você não precisa se preocupar. Você não precisa se esforçar. Você não precisa crescer. É preciso aceitar: há pessoas que simplesmente não querem o seu progresso.

Há outras que podem até querer te ver bem, mas não melhor do que elas. E com essas pessoas você precisa ter cuidado. Você deve se blindar – se vestir de autoconfiança. A autoconfiança, aliás, é um escudo e tanto: é o que te faz feliz com você mesmo, consciente dos seus defeitos e disposto a superá-los, quando possível, e, quando não, aceita-los.

Para essas pessoas, a tristeza alheia é alimento. As palavras são armas letais que vão em cheio na felicidade dos distraídos – por isso, não se distraia. Não aceite críticas cruéis ou falsos abraços. O que não é verdadeiro, não acrescenta e não faz falta. Não ocupe espaço com o que te suga energia, sorriso, vontade.

Essas pessoas são dignas da mais pura compaixão – porque elas precisam que o outro caia para que permaneçam de pé. Em vez de evoluir, elas ocupam seu tempo em testemunhar a desgraça alheia, para criarem uma ilusão de superioridade. Porque, sozinhas, elas não se valem.

Porque há pessoas que criticam aquilo que mais gostariam de possuir. Que maldizem em pensamento e sorriem, cheias de dentes. Pessoas que definham ao testemunharem a felicidade de outrem. Faça – as definhar. Responda com um sorriso tão cheio de luz que seja capaz de encandear olhos acostumados com a escuridão. Porque luz própria é coisa que não se compra.

A parte boa disso tudo é você pode escolher. É que existe o outro lado. Existe a luz e a escuridão. A doçura e a crueldade, o ódio disfarçado de sorriso e o amor que transborda pelos olhos. Existem dois caminhos antagônicos sempre abertos, e você escolhe, diariamente, qual deles quer seguir. Você escolhe a cada abraço, a cada tropeço, a cada oportunidade que a vida te dá de acordar e fazer diferente.

A nossa felicidade depende, em grande parte, das relações que construímos ao longo da vida. Escolha as pessoas que te abraçam e deixam aquela sensação de banho tomado, de alma lavada, de carinho no coração. O mal passará por você o tempo todo, mas sempre dá pra desviar.

Não revide falsidade com mais falsidade. Não deixe que o mal que há nas pessoas transforme o bem que há em você – porque nós somos os responsáveis por quem somos, e quando você assume essa responsabilidade, você entende o que é ser feliz – independente do mal olhado e do mal pensado – você aprende a ser feliz.


Sobre Nathalí Macedo


Como parar de se preocupar com o que os outros pensam

Como parar de se preocupar com o que os outros pensam



Homem feliz com os braços abertos em uma bicicleta em alta velocidade na cidade

terça-feira, 20 de maio de 2014

PROJETO EQUOTERAPIA: DIA DO PEDAGOGO

PROJETO EQUOTERAPIA: DIA DO PEDAGOGO: " A EDUCAÇÃO É A ARMA MAIS PODEROSA QUE VOCÊ PODE USAR PARA MUDAR O MUNDO" Parabéns Pedagogos.... em especial ás nossas pedagog...


Minha primeira formação é de grande orgulho para mim!!!!!

segunda-feira, 19 de maio de 2014

Bela reflexão sobre tempo, decisões, escolhas e felicidade.

Se tivesse toda a minha vida pra viver novamente, dessa vez eu tentaria cometer mais erros, não tentaria ser tão perfeito: relaxaria mais, seria mais tolo do que jamais fui nessa jornada e levaria a sério pouquíssimas coisas. Eu seria mais maluco. Não seria tão estéril. Correria mais riscos, viajaria mais, contemplaria mais entardeceres, escalaria mais montes, nadaria em  mais rios, iria a lugares nos quais nunca estive. Comeria mais doces e menos verduras. Teria mais problemas reais e menos problemas imaginários. Eu fui dessas pessoas que viveu sensata e profilaticamente a cada minuto da minha vida. Oh, claro que tive meus bons momentos, e se pudesse fazer tudo de novo, teria mais deles- momento a momento. Fui dessas pessoas que nunca ia a lugar algum sem levar um termômetro, uma bolsa de água quente, uma capa de chuva e um paraquedas. Se pudesse voltar a viver, viajaria mais leve.
Se pudesse voltar a viver, começaria por andar descalço desde o inicio da primavera e seguiria assim até terminar o outono. Daria muito mais voltas de carrocel, observaria mais pores do sol, e brincaria mais com as crianças...se eu tivesse minha vida para viver novamente. Mas, perceba, tenho oitenta e cinco anos e sei que estou morrendo.
Escrito pelo escritor argentino Jorge Luís Borges, doze dias antes de morrer. 

Felicidade tão relativa a nós.

O mundo não é perfeito, o grau da nossa infelicidade é a distância entre o modo como as coisas são e como achamos que elas deveriam ser. Se deixarmos de exigir que as coisas sejam perfeitas, a tarefa de ser feliz se torna mais fácil. Para ser feliz, você não precisa de nada mais que isso: aceitar o que você tem, ou seja, você não precisa de um motivo para ser feliz. Felicidade é um estado de espírito. Se em algum momento você não se acha feliz sinta o seu espírito e saiba o que te extrai a energia de ficar bem. Não precisa manipular o mundo a sua volta para tentar se sentir feliz. Você vive da felicidade, e não para felicidade. 
Não espere com aquela frase ilusória...serei feliz quando, mas vou tentando, vivendo e aprendendo e assim sou feliz. A complexidade no  nosso autoconhecimento faz com que vivenciamos tempestades dentro de nós, ao invés de nos dedicarmos a nossa melhora em nos conhecermos separando o que é ilusório e o que é real. Não misturando significados mas deixando que cada coisa tenha seu tempo e seu lugar no nosso dia a dia. Esse é um caso de mera reflexão para meditar e ouvir o que vai no seu sentimento e emoção. Mas escravos que somos da rotina apressada da vida como nos colocar em exercício de calar a mente acelerada para ouvir o som do seu próprio coração?
Luzanin
Reflexão sobre o texto: A felicidade é uma decisão.
Rogério Martins. Coach 

Triste realidade....porém é possível intervir em favor da reversão desse problema.

Brasil ocupa o primeiro lugar no ranking da prevalência da depressão


A doença não deixa marcas aparentes, é impossível de ser diagnosticada por exames de imagem e, confundidos com uma tristeza normal, os sintomas podem passar despercebidos. Mesmo assim, a depressão é a quarta principal causa de incapacitação em todo o mundo, e de acordo com projeções da Organização Mundial de Saúde (OMS), em 2030 ela será o mal mais prevalente do planeta, à frente do câncer e de algumas doenças infecciosas. Hoje, segundo um estudo epidemiológico publicado na revista especializada BMC Medicine, 121 milhões de pessoas estão deprimidas. Para se ter uma ideia, é um número quase quatro vezes maior do que o de portadores de HIV/Aids (33 milhões).

Quando considerado um período de 12 meses seguidos, o Brasil lidera, entre os países em desenvolvimento, o ranking mundial de prevalência da depressão: 18% da população que participou da pesquisa estava deprimida há pelo menos um ano. Os dados brasileiros foram retirados do São Paulo Megacity, um estudo do Instituto de Psiquiatria da Universidade de São Paulo que avaliou a prevalência de distúrbios psiquiátricos na região metropolitana da cidade, baseado em 5.037 entrevistas.

O episódio depressivo maior é uma preocupação significativa para a saúde pública em todas as regiões do mundo. Esse é um distúrbio sério e recorrente, ligado a morbidades médicas, à mortalidade e à diminuição da qualidade de vida”, alertam, no estudo, os autores, todos eles colaboradores das pesquisas mundiais da OMS. “A organização projeta que em 2020 a depressão será a segunda maior causa de incapacitação no mundo.”

Fonte: IPAN – Instituto de Pesquisas Avançadas em Neuroestimulação

sexta-feira, 16 de maio de 2014

III Congresso Brasileiro de Terapia Cognitiva da Infância e Adolescência

Divulgando o III Congresso Brasileiro de Terapia Cognitiva da Infância e Adolescência

Concriad_2
Se preparem para o 3º Congresso Brasileiro de Terapia Cognitiva da Infância e Adolescência, mais conhecido como Concriad! Ele vai acontecer durante os dias 6, 7 e 8 de novembro de 2014 no Hotel Pestana em Curitiba – PR. Vale a pena ler o que o presidente do congresso tem a dizer sobre a importância do evento:
Surgido de uma constatação de que os terapeutas cognitivos que trabalham com crianças e adolescentes não possuíam um fórum específico para debate, ensino e pesquisa, lançamos este desafio. Segundo nossas consultas à época da primeira edição, essa condição não era restrita ao nosso país. Infância e adolescência, embora tivessem aumentadas sua representatividade em congressos nacionais e internacionais, não haviam evoluído ao ponto de ter um fórum exclusivo no mundo das terapias cognitivas. Se levarmos em conta a sensível fase do desenvolvimento com a qual estamos lidando, o foco de atenção deveria ser redobrado – afinal, intervenções bem realizadas na infância, tanto no nível clínico quanto no nível preventivo, evitariam inúmeras situações patológicas na vida adulta.
Antes disso, no dia 6, também ocorrerá no mesmo local o 1º Seminário Brasileiro de Processos Cognitivos nas Escolas que tem como objetivo aproximar a Terapia Cognitiva do âmbito escolar.
Concriad
http://scienceblogs.com.br/socialmente/

quinta-feira, 15 de maio de 2014

Autism Tank: Special Olympics

Autism Tank: Special Olympics: Special Olympics is a very SPECIAL week to me.  And since we just wrapped up this year's Spring Games, I wanted to share with you a litt...

LUTA ANTIMANICOMIAL - 18 de Maio

O Movimento Antimanicomial , também conhecido como Luta Antimanicomial, se refere a um processo mais ou menos organizado de transformação dos Serviços Psiquiátricos, derivado de uma série de eventos políticos nacionais e internacionais. O termo costuma ser usado de modo generalizante e pouco preciso.
O Movimento Antimanicomial tem o dia 18 de maio como data de comemoração no calendário nacional brasileiro. Esta data remete ao Encontro dos Trabalhadores da Saúde Mental, ocorrido em 1987, na cidade de Bauru, no estado de São Paulo, que reuniu mais de 350 trabalhadores na área de saúde mental.
Na sua origem, esse movimento está ligado à Reforma Sanitária Brasileira da qual resultou a criação do Sistema Unico de Saúde - (SUS); está ligado também à experiência de desinstitucionalização da Psiquiatria desenvolvidas em Gorizia e em Trieste, na Itália, por Franco Basaglia nos anos 60.
Nos séculos passados, quando ainda não havia controle de saúde mental, a loucura era uma questão privada onde, as famílias eram responsáveis por seus membros portadores de transtorno mental. Os loucos eram livres para circulação nos campos, mas, nem tudo eram flores. Eles também eram alvo de chacotas, zombarias e escárnio público.
Com o passar dos anos, começou então a discussão e luta pela implantação de serviços de saúde mental no Brasil. Foi ai então que surgiram as primeiras instituições, no ano de 1841 na cidade do Rio de Janeiro, que era um abrigo provisório, logo após surgirem outras instituições como hospícios e casas de saúde. Somente no final do século XX é que a militância por serviços humanizados consegui às primeiras implantações de Centros de Atenção Psicossocial os CAPS .
Foi em 2001 que a Lei Paulo Delgado foi sancionada no país. A Lei redireciona a assistência em saúde mental, privilegiando o oferecimento de tratamento em serviços de base comunitária, dispõe sobre a proteção e os direitos das pessoas com transtornos mentais, mas não institui mecanismos claros para a progressiva extinção dos manicômios.
As condições da saúde mental no Brasil evoluíram, porém a Luta Antimanicomial não parou. Ainda acontecem manifestações em todo o país no dia 18 de maio, para que se mantenha vivo o cuidado com os doentes, e para que fique claro que eles não devem ser excluídos da sociedade e maltratados como eram antigamente, mas sim orientados e acompanhados para que possam encontrar seu lugar no mundo.

O dia 18 de maio também se tornou Dia Nacional de Combate ao Abuso e à Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes.
http://ismaelpsicol.blogspot.com.br/

Minha mãe do coração tem na vida um histórico de 24 anos de internação, eu acompanhei de muito perto todas as internações dela, desde minha tenra idade. Ela tomou choques, injeções sossega leão, muitas foram as vezes que deixei-a no hospital e voltei com a ambulância. Ouvia suas histórias de dentro daqueles muros...eu chorava escondido pois não era fácil existir naqueles lugares. Pensava se não haveria uma forma de amenizar o sofrimento de quem estivesse ali para tratamento. O conflito dos psiquiatras dela com os psicólogos era evidente. Então hoje ela ainda faz tratamento com psiquiatra toma seus remédios e seu diagnostico é esquizofrenia. Faz suas consultas de 6 em 6 meses, fazendo 5 anos que não precisou mais de internação. Eu falo como um desabafo que é uma dinâmica que precisamos melhorar para os pacientes e para os familiares.   
Luzanin.

Produtos da escravidão



Nesse mundo cão
Nós não temos razão
 Os brancos são escravos
Do sistema competitivos

Se me chama de nega fedida
Sim, sou negra e linda
E você “branquela”pintada
Quero ver se é dura na queda

A princesa Isabel libertou quem?
Os escravos pretinhos como eu?
Nada adiantou, virou salada
“Branquelo” não resiste uma mulata

Isso é o que diz minha bela irmã 
Quando crescer vou ser escrivã
Você será o quê pintadinha(...)
Uma mocinha amarelinha?

É isso que acontece com as crianças de hoje...

mundodosinocentes.blogspot.com.br

Parabéns Super!!!!!!

Dia da Assistência Social e Dia do Assistente Social


Dia da Assistência Social e Dia do Assistente Social
Essa lei garante também "um salário mínimo de benefício à pessoa portadora de deficiência e ao idoso que comprovem não possuir meios de prover a própria manutenção ou de tê-la provida por sua família.

A história da assistência social brasileira só começou a ganhar algumas diretrizes no governo do presidente Getúlio Vargas. Em agosto de 1942, foi fundada a Legião Brasileira de Assistência (LBA), no Rio de Janeiro, por Darci Vargas, esposa do Presidente. Sua finalidade era atender as famílias dos combatentes da Segunda Guerra Mundial.
Ao final da guerra, a LBA passou a atender crianças e mães desamparadas. Em 1969, a entidade foi transformada em Fundação e ampliou sua atuação para atender a infância e a família. Desde então, a presidência da LBA passou a ser ocupada pelas primeiras-damas do país. A política inicial, porém, foi marcada pelo assistencialismo, sem preocupação com a pobreza nem com as formas específicas de educação e preparo das pessoas para o trabalho e para a retomada de uma vida digna e autônoma.
Com a publicação da lei no 8.742, de 07/12/1993, que estabeleceu a Lei Orgânica da Assistência Social, foram providos "os mínimos sociais [...] para garantir o atendimento às necessidades básicas" do cidadão, objetivando a proteção à família, à maternidade, à infância, à adolescência e à velhice, bem como a integração do cidadão ao mercado de trabalho, a habilitação e reabilitação das pessoas portadoras de deficiência e a promoção de sua integração à vida comunitária. Essa lei garante também "um salário mínimo de benefício à pessoa portadora de deficiência e ao idoso que comprovem não possuir meios de prover a própria manutenção ou de tê-la provida por sua família".

Chefs Especiais: AVISO:Dia 15 de maio - quinta-feira, o Instituto...

Chefs Especiais:
AVISO:
Dia 15 de maio - quinta-feira, o Instituto...
: AVISO: Dia 15 de maio - quinta-feira, o Instituto excepcionalmente terá seu horário de funcionamento alterado - das 8h às 14h, devido...

quinta-feira, 8 de maio de 2014

terça-feira, 6 de maio de 2014

Parte do meu mundo...Deus me deu.

Não é ficção essa imagem é real e faz parte da minha vida todos os dias♥

Segredo....é o nome dele...me apaixonei 

Dócil e amável pra qualquer ser humano aprender a ser

Carinho 

Equipe boa demais amamos os cavalos e a neurociência 

Equipe linda..amamos as coisas brutas e simples da vida♥

segunda-feira, 5 de maio de 2014

Minha paixão pela neuropsicopedagogia





Minha paixão sempre foi trabalhar em contextos educacionais. Os educandos sempre nos trazem ânimo e vigor, estão sempre nos proporcionando momentos de aprendizagens.
Quando acadêmica no Curso Normal Superior tive minhas primeiras cadeiras voltadas à Psicopedagogia. O encantamento pelo processo psicopedagógico, as vivências de algumas técnicas de intervenção, perceber que a inclusão é algo possível e viável me proporcionaram aberturas para novos horizontes, pois podemos fazer mais do que simplesmente aquilo que o contexto educativo nos apresenta.
Logo após veio a Pós em Neuropsicopedagogia e tudo aquilo que aprendi na faculdade ganhou maior significado. O conhecimento das Neurociências despertou em mim o desejo de saber mais, estudar mais. Elencar novas prioridades em minha vida, entender que através de nossos estudos estamos colaborando para melhorar a qualidade de vida de outras pessoas. Entender as bases neurais do comportamento humano, ter conhecimento da neuroplasticidade, relacionar aprendizagem e cérebro são aspectos fascinantes que a Neuropsicopedagogia nos proporciona.
Ser Neuropsicopedagogo é um compromisso sério e de muita responsabilidade, pois diariamente novos conhecimentos do cérebro vêm sendo apresentados, novos livros e técnicas de estimulação surgem em diversos contextos da educação. Precisamos estar em constante reciclagem, o fazer neuropsicopedagógico nos exige dedicação e constante atualização, mas se você se permite apaixonar-se pela Neuropsicopedagogia, ela te contagia e mesmo sem perceber já estará em busca do mais.
Faço dessas palavras as minhas Ana Lúcia Hennemann.
 http://neuropsicopedagogianasaladeaula.blogspot.com.br/

Neurociências em benefício da Educação!: Qual caminho que deves seguir?

Neurociências em benefício da Educação!: Qual caminho que deves seguir?: Histórias infantis são repletas de significados, trazem no seu enredo situações pertinentes que nos fazem repensar sobre diversas circun...

Neurociências em benefício da Educação!: Como o pensamento funciona.

Neurociências em benefício da Educação!: Como o pensamento funciona.:       Entender como o pensamento acontece nos facilita a aprendizagem. Observe a imagem:    À esquerda há o ambiente: repleto de co...

sexta-feira, 2 de maio de 2014

Reflexão: Dois Cavalos

Na estrada de minha casa há um pasto. Dois cavalos vivem lá.
De longe, parecem cavalos como os outros, mas, quando se olha bem, percebe-se que um deles é cego.
Contudo, o dono não se desfez dele e arrumou-lhe um amigo – um cavalo mais jovem. Isso já é de se admirar.
Se você ficar observando, ouvirá um sino.
Procurando de onde vem o som, você verá que há um pequeno sino no pescoço do cavalo menor. Assim, o cavalo cego sabe onde está seu companheiro e vai até ele.
Ambos passam os dias comendo e no final do dia o cavalo cego segue o companheiro até o estábulo.
E você percebe que o cavalo com o sino está sempre olhando se o outro o acompanha e, às vezes, pára para que o outro possa alcançá-lo.
E o cavalo cego guia-se pelo som do sino, confiante que o outro o está levando para o caminho certo.
Como o dono desses dois cavalos, Deus não se desfaz de nós só porque não somos perfeitos, ou porque temos problemas ou desafios.
Ele cuida de nós e faz com que outras pessoas venham em nosso auxílio quando precisamos.
(Autora: Raquel Fogo)
http://silvanapsicopedagoga.blogspot.com.br/

Mediação para integração do ser

"Ter compaixão é possuir um entendimento maior das fragilidades humanas. É quando nos tornamos mais realistas, menos exigentes e mais flexíveis com as dificuldades alheias." Hammed

Educação Inclusiva:

Se você não capacita, não ensina esta criança, não faz ela enfrentar o mundo, como ela irá aprender?
“Nosso imaginário social ainda vê as pessoas com deficiência com muitas incapacidades e impossibilidades. Basta chegarmos mais perto delas para perceber que isto não é verdade.
Fui conhecer Anna Luiza, que tem Síndrome de Down e está com 9 anos. Ela está na segunda série do ensino Fundamental I, em uma escola particular em São Paulo. Chegando em sua casa, ela me contou que estava voltando de uma aula de reforço na escola. Comecei a perguntar se ela gostava da escola, respondeu que sim. Me contou que adora praticar esportes: a cama elástica é um dos seus preferidos. Com seu entusiasmo de criança me contou que quer fazer aula de vôlei, basquete, futebol e natação no clube. Disse que o que mais gosta em sua escola são das aulas de artes. Me descreveu um trabalho que havia feito, em que teve que recortar vários triângulos, colá-los em uma folha de papel, colorir o fundo da folha e depois colar purpurina. 
Na hora do recreio chama seu irmão, que tem 7 anos para comprar o lanche com ela. Muitas vezes ele não quer ir, pois prefere brincar com seus amigos. Então ela vai com suas amigas, compra o lanche e em seguida vai brincar. Ela conta que no recreio brincam de pega-pega, esconde-esconde e pula corda, mas do que ela mais gosta é do pega-pega. Existem vários tipos de pega-pega. Anna Luiza me descreveu vários deles: o pega-pega Gelo, Vela, Avião, Fogo, Hello Kitty, Americano e o inédito 007 em que o pegador é, imaginariamente, o lendário James Bond. Me mostrou seu caderno de matemática em que está aprendendo a tabuada, além de sua mais recente lição; o milhar. Disse que já havia aprendido a unidade, a dezena, a centena e agora, o milhar. Me viu escrevendo à caneta e lamentou que a professora não deixe ninguém escrever com caneta, apenas a lápis. Disse que na próxima semana começam as provas e que neste final de semana terá que estudar.
Sua mãe me conta que a matéria que ela tem mais dificuldade é a matemática. No português ela escreve muito bem com letra bastão, mas atualmente aprendeu a escrever com letra cursiva, porque quer escrever como todos os seus amigos. Ela é muito ativa e se coloca muito nas situações. Sua mãe relata que uma vez ela chegou chorando, disse que um colega a chamou de retardada. Ela respondeu para a filha:
-Por que você não se defendeu? Por que não disse que retardado era ele?
Quando isto tornou a acontecer na escola, ela já tinha a resposta na ponta da língua e não deixa mais que ninguém a diminua ou ofenda. Defende também seu irmão. Uma vez ele foi xingado por um coleguinha e ficou muito triste. Anna Luiza foi conversar com a dire­tora da escola, explicou o que havia ocorrido e pediu para que ela tomasse uma providência.
Tanto a Escola quanto a Família têm um papel fundamental para que a inclusão e expressão destas crianças seja efetiva, pois estas duas instâncias têm a função de educar uma criança. A família ocupa um papel importante, na medida em que pode oferecer apoio e recursos para que a criança se posicione frente às situações e adversidades que surgem na escola e na vida. Como aconteceu no exemplo acima, em que a mãe diz à filha que ela não pode permitir que a ofendam em função de sua deficiência. Anna Luiza sabe que tem Síndrome de Down, isto foi explicado a ela e a seu irmão desde bem pequenos. A mãe fala que quando Anna Luiza tinha por volta de um ano de idade, foi conversar com o pediatra, que lhe disse uma frase que a marcou: sua filha será aquilo que você acreditar que ela possa ser.
A mãe de Anna Luiza tem planos para ela. Conta que está fazendo um curso de gastronomia e se pergunta: Ela poderá ser uma boa cozinheira, por que não? Penso também na possibilidade dela estudar em uma escola pública, conheço uma que desen­volve um belo trabalho nesta linha da diversidade. Acredita que um bom professor é aquele que tem o desejo de ensinar, este desejo acaba contagiando os alunos. Reflete que ela poderia não ter posto a filha em uma escola comum, poderia tê-la colocado em uma escola especial ou, até mesmo, em escola nenhuma e protegê-la do mundo lá fora. Mas pondera que esta proteção acaba não sendo verdadeiramente para a criança, mas sim para os próprios pais, que com isso evitam qualquer sofrimento. 
Porém, os prejuízos para a criança são evidentes, porque são privadas do convívio e participação no mundo. Coloca que sempre deixa Anna Luiza ir comprar pão e sorvete na padaria. Com isso ela aprendeu a mexer com dinheiro e sabe conferir o troco.”

[24]IUMATTI, Ana Beatriz.Como aprender, se não há uma aposta de quem educa? [artigo online]. Disponível em: http://www.saci.org.br/?modulo=akemi¶metro=12737> set.2004.

http://saci.org.br/

EU


RecadosOnline

Ziraldo/Comênio/Rubem/Pacheco/Pestalozzi

Ziraldo/Comênio/Rubem/Pacheco/Pestalozzi

Skinner

Skinner
Comportamental ♥

Aaron Beck, psiquiatra e preconizador da Terapia Cognitiva

Aaron Beck, psiquiatra e preconizador da Terapia Cognitiva

Psicanálise ♥

Psicanálise ♥
Sigmund Freud

Só uma professora muito maluquinha sabe ver em toda situação uma oportunidade.

Só uma professora muito maluquinha sabe ver em toda situação uma oportunidade.

Primeira Infância...♥

Primeira Infância...♥

A mediação do professor deve respeitar o tempo da criança...♥

A mediação do professor deve respeitar o tempo da criança...♥

Escola da Ponte

"Será indispensável alterar a organização das escolas, interrogar práticas educativas dominantes. É urgente interferir humanamente no íntimo das comunidades humanas, questionar convicções e, fraternalmente, incomodar os acomodados", afirma José Pacheco.

SIMPLES ASSIM....

SIMPLES ASSIM....

Amo Psicologia

Eu sigo

Agenda dos blogs

contador visitas blog

IMPORTANTE:

Todas imagens aqui postadas e várias mensagens são de autoria de outros blogs que sigo e de alguns lugares da internet. Algumas mensagens são de minha autoria. O meu ideal é a divulgação de assuntos, textos, artigos, mensagens, imagens ou seja tudo, que possa ajudar a elevar nossa energia e que nos faça sentir melhor, buscando a força em nosso Pai Maior e seus anjos. Se eu ofender a alguém com algum post sem ter dado o devido crédito peço perdão e por favor me comuniquem. (luedimar21@gmail.com)
Obrigada queridos (as) irmãos e irmãs.

Mostrou o amor e o perdão

Mostrou o amor e o perdão
Caridade da doação

Prece de Cáritas

Prece de Cáritas
Deus nosso Pai, que sois todo Poder e Bondade,dai força aquele que passa pela provação, dai a luz aquele que procura a verdade, pondo no coração do homem a compaixão e a caridade.Deus dai ao viajor a estrela guia, ao aflito a consolação, ao doente o repouso.Pai, dai ao culpado o arrependimento, ao Espírito Verdade, a criança o guia, ao órfão o pai.Senhor que a vossa bondade se estenda sobre tudo que criaste, piedade senhor para aqueles que não os conhecem e esperança para aqueles que sofrem. Que a vossa bondade permita aos Espíritos consoladores derramarem por toda parte a paz,a esperança e a fé. Deus, um raio uma faísca do vosso amor pode abrasar a Terra,deixa-nos beber nas fontes dessa bondade fecunda e infinita, e todas as lágrimas secarão, todas as dores se acalmarão.Um só coração, um só pensamento subirá até vós,como um grito de reconhecimento e de amor.Como Moisés sobre a montanha, nós vos esperamos com os braços abertos, oh! bondade oh! beleza oh! perfeição, e queremos de alguma sorte merecer a vossa misericórdia. Deus dai-nos a força de ajudar o progresso a fim de subirmos até vós, dai-nos a caridade pura, dai-nos a fé e a razão, dai-nos a simplicidade que fara´das nossas almas o espelho onde se refletirá a vossa imagem. Que assim seja!