domingo, 30 de janeiro de 2011

Sugestões de qualidade de bem estar


13m.jpg

O professor precisa se humanizar

Esse filme marcou mais uma trajetória em minha vida como professora e estudante de pós em psicopedagogia, pois, sempre acreditei na humanização de todas as profissões, acreditei no casamento das instituições família e escola, acreditei em igualdades de direitos a todos de acordo com suas especificidades, cada um é de um jeito e não existe homogeneidade  pois somos diferentes e isso não quer dizer que somos "anormais ou normais", mas que somos seres humanos que vivemos em um mesmo planeta, temos rotinas parecidas, necessidades biológicas quase iguais diferenciando a cultura de cada um. Somos seres adaptáveis a sobrevivência desde a Era das cavernas e todos tivemos o mesmo princípio de vida.
Somos irmãos em Cristo e temos em nós defeitos e qualidades, ninguém é tão ruim que não possa ser bom e ninguém é tão bom que não possa ser um dia ruim.
Ninguém escapa da vida e dos conflitos. Todos estão sujeitos a mesma condição do nascer/viver/morrer.
É a regra que vale pra todos e isso é a única coisa que nos diz: NÃO SOMOS MELHORES QUE NINGUÉM E NEM TÃO PIORES. SOMOS QUEM SOMOS E TEMOS QUE ACEITAR-NOS E ACEITAR AO NOSSO PRÓXIMO, AMANDO-O COMO A NÓS MESMOS E FAZENDO A ELE O QUE GOSTARÍAMOS QUE FOSSE FEITO A NÓS.
Assistam esse filme e passem pra frente isso humaniza qualquer ser.
"Água mole em pedra dura tanto bate até que fura."
Beijos com carinho pra vocês.....
No olhar de uma criança eu encontro a esperança.

terça-feira, 25 de janeiro de 2011

Oração das Crianças Especiais

 Compartilho com vocês um email que recebi da minha querida professora Lana.

Ser feliz é encontrar forças na liberdade do "SER" e do não "TER".

Oração das Crianças Especiais
Bem aventurados os que compreeendem meu estranho passo a caminhar...
Bem aventurados os que me olham e não vêem a comida que eu deixo cair fora do prato...
Bem aventurados os que com um sorriso nos lábios me estimulam a tentar mais um a vez...
Bem aventurados os que nunca me lembram que já fiz a mesma pergunta duas vezes...
Bem aventurados os que compreendem que me é difícil converter em palavras os meus pensamentos...
Bem aventurados os me escutam, pois eu também tenho algo a dizer...
Bem aventurados os que sabem o que sente meu coração, embora não possa expressar...
Bem aventurados os que me amam como sou, tão somente como eu sou, e não como eles gostariam que eu fosse...
Em ti confio e entrego-me para guiar-me  e proteger-me por toda minha caminhada terrena.
A vida é uma maravilha para todos aqueles que sabem viver e conhecer o verdadeiro pulsar da vida eterna que jamais se acaba.
Dê-me força e coragem para seguir em frente. Que os períodos de fraqueza sejam combatidos com firmeza e determinação.
Que minha sabedoria seja eterna e eu a aproveite infinitamente a favor de meus semelhantes.
Que minhas emoções sejam equilibradas, que a harmonia seja instalada em minha alma.
Que o amor seja infinitamente a força que me sustenta e mantenha-me unido a todos meus irmãos.
Saiba sorrir para vida a fim de que ela seja a sua própria alegria de viver. A partir daí, a felicidade estará permanente ao seu lado.
Fortaleça minha alma, aumente minha vontade de buscar sempre mais fontes necessárias para meu crescimento espiritual.
Sorrir abre caminhos, desarma os mal-humorados. Mas sorria com a alma não apenas com os lábios.
Permita-me espalhar por onde eu andar seu ensinamento e que todos  através de mim compreenderem o sentimento do amor.
Que meu coração seja a moradia permanente do sentimento do amor, que meu alicerce seja baseado no amor.
Que cada dia seja um convite, um apelo, uma oportunidade...
Lembre-se: existe alguém que é feliz somente por amar você!

terça-feira, 18 de janeiro de 2011

Meu Deus-Santo Agostinho

Estão diante de ti, Senhor,
a minha firmeza
e a minha fraqueza:
conserva a primeira 
e cura a segunda.
 
Santo Agostinho

quinta-feira, 13 de janeiro de 2011

Para refletir sobre a atual condição da Educação

 Assunto: DESAGRAVO ao PROF. IGOR AO ASSASSINATO DO PROF. KÁSSIO VINICIUS.
Assino em baixo.
Amigos,

Embora há muito tempo desligado daquela instituição, como ex-professor do Instituto Metodista Izabela Hendrix, fiquei profundamente consternado com o caso do universitário que, revoltado com suas notas baixas, cravou uma faca no coração de seu professor, na cantina, em pleno horário escolar, à frente de todos.

Escrevi um desagravo e, em minha opinião, a pérfida ilusão vendida a muitos alunos despreparados, sobre a escola (e a vida) como  lugares supostamente cheios de direitos e pobres em deveres, acaba por contribuir para ambientes propensos à violência moral e física.

Espero que, se concordarem com os termos, repassem adiante, sem moderação
A divulgação é livre.

Abraços
Igor
(Eu acuso !)

(Tributo ao professor Kássio Vinícius Castro Gomes)

« Mon devoir est de parler, je ne veux pas être complice.
(Émile Zola)
Meu dever é falar, não quero ser cúmplice. (...)
(Émile Zola)

Foi uma tragédia fartamente anunciada. Em milhares de casos, desrespeito. Em outros tantos, escárnio. Em Belo Horizonte, um estudante processa a escola e o professor que lhe deu notas baixas, alegando que teve danos morais ao ter que virar noites estudando para a prova subsequente. (Notem bem: o alegado “dano moral” do estudante foi ter que... estudar!).

A coisa não fica apenas por aí. Pelo Brasil afora, ameaças constantes. Ainda neste ano, uma professora brutalmente espancada por um aluno. O ápice desta escalada macabra não poderia ser outro.


O professor Kássio Vinícius Castro Gomes pagou com sua vida, com seu futuro, com o futuro de sua esposa e filhas, com as lágrimas eternas de sua mãe, pela irresponsabilidade que há muito vem tomando conta dos ambientes escolares.


Há uma lógica perversa por trás dessa asquerosa escalada. A promoção do desrespeito aos valores, ao bom senso, às regras de bem viver e à autoridade foi elevada a método de ensino e  imperativo de convivência supostamente democrática.


No início, foi o maio de 68, em Paris: gritava-se nas ruas que “era proibido proibir”. Depois, a geração do “não bate, que traumatiza”. A coisa continuou: “Não reprove, que atrapalha”. Não dê provas difíceis, pois “temos que respeitar o perfil dos nossos alunos”. Aliás, “prova não prova nada”. Deixe o aluno “construir seu conhecimento.” Não vamos avaliar o aluno. Pensando bem, “é o aluno que vai avaliar o professor”. Afinal de contas, ele está pagando...


E como a estupidez humana não tem limite, a avacalhação geral epidêmica, travestida de “novo paradigma” (Irc!), prosseguiu a todo vapor, em vários setores: “o bandido é vítima da sociedade”, “temos que mudar ‘tudo isso que está aí’; “mais importante que ter conhecimento é ser ‘crítico’.”


Claro que a intelectualidade rasa de pedagogos de panfleto e burocratas carreiristas ganhou um imenso impulso com a mercantilização desabrida do ensino: agora, o discurso anti-disciplina é anabolizado pela lógica doentia e desonesta da paparicação ao aluno – cliente...


Estamos criando gerações em que uma parcela considerável de nossos cidadãos é composta de adultos mimados, despreparados para os problemas, decepções e desafios da vida, incapazes de lidar com conflitos e, pior, dotados de uma delirante certeza de que “o mundo lhes deve algo”.


Um desses jovens, revoltado com suas notas baixas, cravou uma faca com dezoito centímetros de lâmina, bem no coração de um professor. Tirou-lhe tudo o que tinha e tudo o que poderia vir a ter, sentir, amar.


Ao assassino, corretamente , deverão ser concedidos todos os direitos que a lei prevê: o direito ao tratamento humano, o direito à ampla defesa, o direito de não ser condenado em pena maior do que a prevista em lei. Tudo isso, e muito mais, fará parte do devido processo legal, que se iniciará com a denúncia, a ser apresentada pelo Ministério Público. A acusação penal a o autor do homicídio covarde virá do promotor de justiça. Mas, com a licença devida ao célebre texto de Emile Zola, EU ACUSO tantos outros que estão por trás do cabo da faca:


EU ACUSO a pedagogia ideologizada, que pretende relativizar tudo e todos, equiparando certo ao errado e vice-versa;


EU ACUSO os pseudo-intelectuais de panfleto, que romantizam a “revolta dos oprimidos”e justificam a violência por parte daqueles que se sentem vítimas;

EU ACUSO os burocratas da educação e suas cartilhas do politicamente correto, que impedem a escola de constar faltas graves no histórico escolar, mesmo de alunos criminosos, deixando-os livres para tumultuar e cometer crimes em outras escolas;


EU ACUSO a hipocrisia de exigir professores com mestrado e doutorado, muitos dos quais, no dia a dia, serão pressionados a dar provas bem tranqüilas, provas de mentirinha, para “adequar a

avaliação ao perfil dos alunos”;

EU ACUSO os últimos tantos Ministros da Educação, que em nome de estatísticas hipócritas e interesses privados, permitiram a proliferação de cursos superiores completamente sem condições, frequentados por alunos igualmente sem condições de ali estar;

EU ACUSO a mercantilização cretina do ensino, a venda de diplomas e títulos sem o mínimo de interesse e de responsabilidade com o conteúdo e formação dos alunos, bem como de suas futuras missões na sociedade;


EU ACUSO a lógica doentia e hipócrita do aluno-cliente, cada vez menos exigido e cada vez mais paparicado e enganado, o qual, finge que não sabe que, para a escola que lhe paparica, seu boleto hoje vale muito mais do que seu sucesso e sua felicidade amanhã;


EU ACUSO a hipocrisia das escolas que jamais reprovam seus alunos, as quais formam  analfabetos funcionais só para maquiar estatísticas do IDH e dizer ao mundo que o número de alunos com segundo grau completo cresceu “tantos por cento”;


EU ACUSO os que aplaudem tais escolas e ainda trabalham pela massificação do ensino superior, sem entender que o aluno que ali chega deve ter o mínimo de preparo civilizacional, intelectual e moral, pois estamos chegando ao tempo no qual o aluno “terá direito” de se tornar médico ou advogado sem sequer saber escrever, tudo para o desespero de seus futuros clientes-cobaia;


EU ACUSO os que agora falam em promover um “novo paradigma”, uma “ nova cultura de paz”, pois o que se deve promover é a boa e VELHA cultura da “vergonha na cara”, do respeito às normas, à autoridade e do respeito ao ambiente universitário como um ambiente de busca do conhecimento;


EU ACUSO os “cabeça – boa” que acham e ensinam que disciplina é “careta”, que respeito às normas é coisa de velho decrépito;


EU ACUSO os métodos de avaliação de professores, que se tornaram templos de vendilhões, nos quais votos são comprados e vendidos em troca de piadinhas, sorrisos e notas fáceis;

EU ACUSO os alunos que protestam contra a impunidade dos políticos, mas gabam-se de colar nas provas, assim como ACUSO os professores que, vendo tais alunos colarem, não têm coragem de aplicar a devida punição.


EU VEEMENTEMENTE ACUSO os diretores e coordenadores que impedem os professores de punir os alunos que colam, ou pretendem que os professores sejam “promoters” de seus cursos;


EU ACUSO os diretores e coordenadores que toleram condutas desrespeitosas de alunos contra professores e funcionários, pois sua omissão quanto aos pequenos incidentes é diretamente responsável pela ocorrência dos incidentes maiores;

Uma multidão de filhos tiranos que se tornam alunos -clientes, serão despejados na vida como adultos eternamente infantilizados e totalmente despreparados, tanto tecnicamente para o exercício da profissão, quanto pessoalmente para os conflitos, desafios e decepções do dia a dia.


Ensimesmados em seus delírios de perseguição ou de grandeza, estes jovens mostram cada vez menos preparo na delicada e essencial arte que é lidar com aquele ser complexo e imprevisível que podemos chamar de “o outro”.


A infantilização eterna cria a seguinte e horrenda lógica, hoje na cabeça de muitas crianças em corpo de adulto: “Se eu tiro nota baixa, a culpa é do professor. Se não tenho dinheiro, a culpa é do patrão. Se me drogo, a culpa é dos meus pais. Se furto, roubo, mato, a culpa é do sistema. Eu, sou apenas uma vítima. Uma eterna vítima. O opressor é você, que trabalha, paga suas contas em dia e vive sua vida. Minhas coisas não saíram como eu queria. Estou com muita raiva. Quando eu era criança, eu batia os pés no chão. Mas agora, fisicamente, eu cresci. Portanto, você pode ser o próximo.”


Qualquer um de nós pode ser o próximo, por qualquer motivo. Em qualquer lugar, dentro ou fora das escolas. A facada ignóbil no professor Kássio dói no peito de todos nós. Que a sua morte não seja em vão. É hora de repensarmos a educação brasileira e abrirmos mão dos modismos e invencionices. A melhor “nova cultura de paz” que podemos adotar nas escolas e universidades é fazermos as pazes com os bons e velhos conceitos de seriedade, responsabilidade, disciplina e estudo de verdade.


Igor Pantuzza Wildmann


Advogado – Doutor em Direito. Professor universitário.
Assino também - Luzia Barion.


E acrescento, ou matam ou  praticam o suicídio (Literalmente ou graças às drogas) pois ao crescerem e não tendo como culpar o professor ( ou a escola)  e não conseguindo assumir os seus fracassos dão cabo à vida. Esse é o futuro dos que foram "passados" e não  verdadeiramente preparados para a vida, por culpa de um sistema educacional que prefere fingir que está ensinando para "justificar" estatísticas. Pais, acordem, pois aos políticos interessa tão somente aumentar os seus salários....

terça-feira, 11 de janeiro de 2011

Homenagem ao meu querido amigo Faikson

Hoje descobri que os nossos irmãos animais são muito mais do que pensamos que eles sejam.
Comprar, adotar ou ganhar um animal de estimação quer dizer responsabilidade. Temos neles amizade, carinho, brincadeiras, enfim, amor. Quando pensamos que adestramos os nossos bichinhos, nós é que estamos sendo "adestrados". Não de maneira pejorativa, aprendemos a nos doar em tempo dividindo-o em cuidados específicos que cada um exige de nós. A nossa paciência é colocada a prova. Mas que sujeitinho é esse que chama a responsbilidade e ao amor? Tenho nele proteção, pois ele não bobeia na vigilância e me avisa ao menor sinal de perigo. Vem me olhando quando choro e entra debaixo da minha mão pra dizer que está ali, não me deixando só. Se é um daqueles dias de dificuldades estressantes, onde ele leva bronca por nada, nem assim ele desiste de me sorrir e ficar perto de mim. Posso até ter vontade de exterminar um ser humano da face da Terra por suas ações covardes, brutais e frias com a sua própria espécie ou etnia, mas vem um cãozinho amigo e companheiro e me ensina a amar adestrando meus piores sentimentos, me ajudando a ser um pouco diferente em relação ao meu irmão ainda não esclarecido. Então me envergonho de mim mesma e penso, passo a olhar para meus semelhantes com o olhar de compaixão, torcendo para que eles encontrem e cedam um espaço de suas vidas para um "♥sujeitinho♥" que ama sem pedir nada em troca, protege com a própria vida o seu dono, brinca. pula e faz a festa quando vê você chegar, mesmo que o mundo lá fora nem queira saber que você existe. Quando a humanidade tratar suas crianças, seus idosos e seus animais com amor e respeito, o mundo terá a chance de ser feliz e evoluído envolvido em muita paz!
Essa mensagem foi um homenagem ao meu querido amigo Faikson que desencarnou com câncer nos ossos.
Eu não o sacrifiquei fiquei com ele até o último suspiro levando todo dia para tratamento da dor.
Agradeço ao médico veterinário que cuida dos amigos da família. Drº Alex, pois entendeu minha vontade e respeitou-a não deixando de assistir ao meu amigo.
SAUDADE MEU NEGO........

quinta-feira, 6 de janeiro de 2011

Mário Quintana- Deficiente

Mário Quintana
"Deficiente" é aquele que não consegue modificar sua vida, aceitando as imposições de outras pessoas ou da sociedade em que vive, sem ter consciência de que é dono do seu destino.
"Louco" é quem não procura ser feliz com o que possui.
"Cego" é aquele que não vê seu próximo morrer de frio, de fome, de miséria, e só tem olhos para seus míseros problemas e pequenas dores.
"Surdo" é aquele que não tem tempo de ouvir um desabafo de um amigo, ou o apelo de um irmão. Pois está sempre apressado para o trabalho e quer garantir seus tostões no fim do mês.
"Mudo" é aquele que não consegue falar o que sente e se esconde por trás da máscara da hipocrisia.
"Paralítico" é quem não consegue andar na direção daqueles que precisam de sua ajuda.
"Diabético" é quem não consegue ser doce.
"Anão" é quem não sabe deixar o amor crescer. E finalmente, a pior das deficiências é ser miserável, pois:
"Miseráveis" são todos que não conseguem falar com Deus.




Esperança e tentativas

É melhor tentar e falhar, que preocupar-se e ver a vida passar. É melhor tentar, ainda que em vão, que sentar-se fazendo nada até o final. Eu prefiro na chuva caminhar, que em dias tristes em casa me esconder. Prefiro ser feliz, embora louco, que em conformidade viver...
(Martin Luther King)

Estuda o ato de aprender e ensinar levando em conta a realidade interna e externa da aprendizagem. Colocar em pé de igualdade os aspectos cognitivos afetivos e sociais. (Neves apud Bossa)

terça-feira, 4 de janeiro de 2011

Beleza


A beleza é tão sútil quando tem um toque de simplicidade...
A autenticidade do ser consiste em se ter personalidade...

EU


RecadosOnline

Ziraldo/Comênio/Rubem/Pacheco/Pestalozzi

Ziraldo/Comênio/Rubem/Pacheco/Pestalozzi

Skinner

Skinner
Comportamental ♥

Aaron Beck, psiquiatra e preconizador da Terapia Cognitiva

Aaron Beck, psiquiatra e preconizador da Terapia Cognitiva

Psicanálise ♥

Psicanálise ♥
Sigmund Freud

Só uma professora muito maluquinha sabe ver em toda situação uma oportunidade.

Só uma professora muito maluquinha sabe ver em toda situação uma oportunidade.

Primeira Infância...♥

Primeira Infância...♥

A mediação do professor deve respeitar o tempo da criança...♥

A mediação do professor deve respeitar o tempo da criança...♥

Escola da Ponte

"Será indispensável alterar a organização das escolas, interrogar práticas educativas dominantes. É urgente interferir humanamente no íntimo das comunidades humanas, questionar convicções e, fraternalmente, incomodar os acomodados", afirma José Pacheco.

SIMPLES ASSIM....

SIMPLES ASSIM....

Amo Psicologia

Eu sigo

Agenda dos blogs

contador visitas blog

IMPORTANTE:

Todas imagens aqui postadas e várias mensagens são de autoria de outros blogs que sigo e de alguns lugares da internet. Algumas mensagens são de minha autoria. O meu ideal é a divulgação de assuntos, textos, artigos, mensagens, imagens ou seja tudo, que possa ajudar a elevar nossa energia e que nos faça sentir melhor, buscando a força em nosso Pai Maior e seus anjos. Se eu ofender a alguém com algum post sem ter dado o devido crédito peço perdão e por favor me comuniquem. (luedimar21@gmail.com)
Obrigada queridos (as) irmãos e irmãs.

Mostrou o amor e o perdão

Mostrou o amor e o perdão
Caridade da doação

Prece de Cáritas

Prece de Cáritas
Deus nosso Pai, que sois todo Poder e Bondade,dai força aquele que passa pela provação, dai a luz aquele que procura a verdade, pondo no coração do homem a compaixão e a caridade.Deus dai ao viajor a estrela guia, ao aflito a consolação, ao doente o repouso.Pai, dai ao culpado o arrependimento, ao Espírito Verdade, a criança o guia, ao órfão o pai.Senhor que a vossa bondade se estenda sobre tudo que criaste, piedade senhor para aqueles que não os conhecem e esperança para aqueles que sofrem. Que a vossa bondade permita aos Espíritos consoladores derramarem por toda parte a paz,a esperança e a fé. Deus, um raio uma faísca do vosso amor pode abrasar a Terra,deixa-nos beber nas fontes dessa bondade fecunda e infinita, e todas as lágrimas secarão, todas as dores se acalmarão.Um só coração, um só pensamento subirá até vós,como um grito de reconhecimento e de amor.Como Moisés sobre a montanha, nós vos esperamos com os braços abertos, oh! bondade oh! beleza oh! perfeição, e queremos de alguma sorte merecer a vossa misericórdia. Deus dai-nos a força de ajudar o progresso a fim de subirmos até vós, dai-nos a caridade pura, dai-nos a fé e a razão, dai-nos a simplicidade que fara´das nossas almas o espelho onde se refletirá a vossa imagem. Que assim seja!